Alimentação do bebé: dos 0 aos 12 meses

Por À Roda da Alimentação

A dieta dos bebés no primeiro ano de vida é um tema que gera muitas dúvidas. Hoje esclarecemos algumas!

Os primeiros meses de vida de um bebé são determinantes para a sua saúde e crescimento. Neste período, como aliás em todos, a alimentação deve ser variada e fornecer os nutrientes necessários para ajudar o organismo a evoluir com robustez.

Nos próximos parágrafos, resumimos algumas recomendações especialmente úteis nesta fase tão importante para as crianças e para os pais.

Alimentação dos 0 aos 6 meses

Até aos seis meses de vida, os especialistas concordam que o bebé deve ser exclusivamente amamentado, pois o materno detém, à partida, todos os nutrientes necessários para o seu melhor desenvolvimento.

Segundo a Associação Portuguesa de Nutrição, o aleitamento materno, além de estreitar os laços entre a mãe e o bebé, é conveniente, seguro e aconselhável por desempenhar um papel protetor relativamente a várias doenças (asma, dermatite atópica, gastroenterite aguda, etc.).  A amamentação pode, mais tarde, ser combinada com os novos alimentos na dieta, ou seja, pode acompanhar a vida do bebé até aos dois anos de idade.

Nos primeiros quatro meses, caso o leite materno seja insuficiente para as exigências nutricionais do lactente, deve recorrer-se às fórmulas infantis, como complemento ou alternativa. Entre os 4 e os 6 meses, aconselha-se a introduzir novos alimentos. Geralmente, opta-se por introduzir purés com três ou quatro hortícolas. As papas de , sem açúcar ou , também são aconselhadas.

Alimentação do Bebé no 1º Ano de Vida

As papas Continente do Bebé estão adaptadas às várias etapas de crescimento:

  • Com vitaminas e minerais
  • Sem adição de açúcares
  • Sem óleo de palma
  • Sem corantes e aromas artificiais
  • Com polpa de frutas e cereais integrais

Alimentação aos 6 meses

Depois dos seis meses de idade, é importante começar a somar outros micronutrientes (ferro, zinco, vitaminas do complexo B, entre outros) à rotina alimentar. As refeições principais podem ser preparadas com hortícolas, fruta, tubérculos, e fontes de proteína animal, como ou , desde que triturados.

A fruta, rica em vitaminas e minerais, deve ser servida preferencialmente crua (para manter as vitaminas termolábeis), moída ou amassada, como ou merenda, na medida de duas peças por dia. As frutas mais aconselháveis para esta fase são a maçã, a pêra e a banana.

Os purés Continente do Bebé são adaptados às várias etapas de crescimento. Estes purés têm os seguintes atributos:

  • 100% de frutas batidas
  • Sem adição de açúcares
  • Sem conservantes

Alimentação dos 7 aos 12 meses

A introdução da proteína animal, fonte importante de ferro heme, deve também ocorrer a partir do sexto mês, na dose de 30 g/dia de carne ou peixe, e tradicionalmente inicia-se com carne de ave e peixes magros. Esta proteína deve ser adicionada aos cremes de legumes, moída ou desfiada e, a partir dos oito meses, já pode acompanhar ou massa bem cozidos.

Durante esta fase, é importante dar bastante água ao bebé, para prevenir a desidratação, a prisão de ventre ou a sobrecarga dos rins.

Após o início da diversificação alimentar, os alimentos alergénicos, como o amendoim, frutos e sementes oleaginosos, ovo ou marisco, podem ser introduzidos na alimentação do bebé, mas em quantidades pequenas e um de cada vez, para se identificarem possíveis alergias ou intolerâncias. O glúten pode ser adicionado a qualquer momento, entre os 4 e os 12 meses de idade.

De resto, a dieta do bebé deve evitar ao máximo os alimentos processados e com adição de açúcar ou sal. Aliás, o sal e o açúcar não devem ser consumidos durante o primeiro ano de vida da criança. As bebidas açucaradas, incluindo os sumos de fruta naturais, e o chá, (alguns contêm funcho), também devem ser evitadas neste período.

Por fim, é importante referir que as transições alimentares devem ser avaliadas por um pediatra ou , pois cada bebé reagirá de forma diferente à alimentação.

Alimentação do Bebé no 1º Ano de Vida

Saborosos e nutritivos, os snacks Continente do Bebé são ideais para complementar refeições. Têm o tamanho ideal para se adaptarem às mãos do bebé, para que aprenda a comer sozinho e cresça confiante desde o primeiro dia. Estes snacks têm os seguintes atributos:

  • Sem corantes e aromas artificiais
  • Sem açúcar adicionado, adoçado apenas com polpas de frutas e
  • Sem gorduras hidrogenadas
  • Sem óleo de palma
  • Todos os snacks e cereais são de produção biológica

Fonte: Alimentação nos Primeiros 1000 Dias, Associação Portuguesa de Nutrição

Autor

À Roda da Alimentação