Existem alimentos inflamatórios?

Por À Roda da Alimentação

Não, não existem alimentos inflamatórios, mas existem alimentos que devido à sua constituição ou composição nutricional podem potenciar uma resposta inflamatória no organismo. Vamos explicar melhor.

É importante começar por referir que nenhum alimento tem poderes curativos milagrosos. Assim como não emagrecem, os alimentos, ou suplementos, por si só, não impedem ou curam a infeção por vírus, bactérias ou outros microrganismos causadores de doença. Ou seja, não garantem a proteção do sistema imunitário, nem evitam o surgimento de inflamações (resposta natural do organismo aos ‘invasores').

E um estilo de vida sedentário que não inclua uma alimentação equilibrada e variada pode levar a que as inflamações se tornem crónicas, implicando mais riscos e maiores cuidados.

Posto isto, também é um facto que uma boa condição nutricional, proporcionada pela adoção de bons hábitos alimentares, pode ter um impacto importante na prevenção e curso da doença.

Alimentos Inflamatórios

Regressando à pergunta que dá título a este texto, efetivamente existem alimentos que, devido à sua constituição/composição nutricional (por exemplo, elevado teor em gordura saturada), podem aumentar o risco do processo inflamatório do organismo.

A ingestão excessiva de açúcares simples de adição, fritos, refrigerantes, bolachas, produtos de pastelaria, gorduras trans (hidrogenadas) e gorduras saturadas, estimula o surgimento de inflamações que, por sua vez, podem desencadear várias doenças graves, como artrite, Alzheimer, cancro ou .

A boa notícia é que também existem alimentos que devido à sua riqueza nutricional e teor em e minerais, como é o caso da e , produzem um efeito oposto e benéfico. Ou seja, devido à presença de importantes vitaminas e minerais contribuem para o bom funcionamento do .

Estes alimentos são especialmente ricos em nutrientes que têm uma ação anti-inflamatória, pois bloqueiam/regulam a produção de substâncias inflamatórias. É o caso da (cítricos), (), carotenoides e flavonoides (vegetais e fruta), ácidos gordos ómega 3 (peixes gordos) e .

Perante uma inflamação, além do tratamento clínico prescrito por um médico, é benéfico seguir uma alimentação variada e equilibrada, que inclua este tipo de alimentos.

Feitas as contas, como sempre, é essencial seguir as orientações da Roda dos Alimentos Mediterrânica para garantir mais saúde e melhor qualidade de vida.

10 princípios da Dieta Mediterrânea

Autor

À Roda da Alimentação