Melão em 5 respostas

Por À Roda da Alimentação

Partilhar

Que o melão é saboroso, fresco e vem mesmo a calhar no verão já todos sabemos. Hoje explicamos como escolhê-lo e os benefícios que pode ter para a saúde.

O melão faz parte de uma alimentação saudável e está entre a fruta mais apreciada pelos portugueses. Por tudo isso, é o nosso ingrediente do mês.

A propósito, consultámos a equipa de nutricionistas do Continente para saber mais sobre este fruto que está agora na sua época.

1. Como se escolhe um bom melão?

O melão é, desde logo, selecionado no campo pelos produtores que, com a sua vasta experiência, identificam os que estão no melhor ponto de consumo. O melão disponível nas lojas Continente tem a maturação adequada para o consumo imediato. Está, por isso, doce e sumarento.

2. Que tipos de melão existem e quais são as suas principais diferenças?

Existem muitas variedades de melão, mas nas lojas Continente vendem-se, sobretudo, três tipos: melão branco, nacional de produtores do Ribatejo e Alentejo de polpa macia, sumarento e doce; melão verde pele de sapo, doce com uma textura mais firme; e melão amarelo, sumarento e firme.

3. Quais são os maiores benefícios do melão?

Cerca de 92% da composição do melão é água. E, por essa razão, é um bom aliado para garantir a hidratação, sobretudo nos dias mais quentes.

Apresenta baixo valor energético, pelo que não aporta muitas calorias, ao mesmo tempo que é fonte de fibra, que como já sabemos tem um papel importante para o bom funcionamento do trânsito intestinal.

Este fruto é ainda rico em vitamina C, cuja ação antioxidante é amplamente conhecida, para além de contribuir para a melhor absorção de ferro e redução do cansaço e fadiga.

É também fonte de vitamina A, que intervém no metabolismo do ferro e é importante para a saúde da pele, visão e normal funcionamento do sistema imunitário.

4. O melão engorda?

Nenhum alimento, por si só, tem a capacidade de engordar. O ganho de peso resulta de um desequilíbrio entre o gasto energético e a ingestão, ou seja, engordamos quando há um consumo de energia superior ao que se despende.

Como referido antes, o melão tem um baixo valor energético – uma porção de 100 g tem menos de 20 kcal. Trata-se de uma quantidade reduzida, que dificilmente contribui para uma ingestão calórica diária excessiva, se não abusarmos no seu consumo.

Ainda assim, é importante ir variando nos alimentos que escolhemos. Só porque o melão não aporta muitas calorias, não significa que deve ser a nossa única escolha.

Pelos diferentes nutrientes que possuem, os alimentos têm díspares benefícios e devem ser integrados na alimentação de forma variada.

Isto é verdade para qualquer grupo da Roda dos Alimentos, incluindo o da fruta. Um bom truque para escolher fruta e hortícolas? Variar tanto quantas as cores do arco-íris.

5. Podem consumir-se as sementes do melão?

As sementes do melão, tal como as da abóbora, podem fazer parte da alimentação. Se as tostar numa frigideira antiaderente (não precisa adicionar gordura) podem constituir um delicioso snack.

Outra forma de aproveitar as sementes é usá-las para preparar uma bebida de sementes de melão, à semelhança do que se faz em casa com a bebida de amêndoa ou de aveia.


Como tostar as sementes?

  1. Retire as sementes do melão (ou da abóbora).
  2. Passe-as por água, até ficarem bem lavadas.
  3. Espalhe-as bem, num tabuleiro raso.
  4. Cubra as sementes com um pano limpo e deixe secar por 24 horas.
  5. Leve ao forno e deixe tostar.
  6. Deixe arrefecer e sirva como aperitivo.

Bebida de sementes de melão

Preparação

  1. Retire as sementes do melão e coloque-as numa liquidificadora.
  2. Junte 250 ml de água filtrada.
  3. Triture tudo muito bem.
  4. Passe a mistura por um coador, de modo a separar o líquido.
  5. Guarde no frigorífico e sirva frio.

Autor

À Roda da Alimentação