Portugal: combater a obesidade

Por À Roda da Alimentação

Portugal é o 8.º país mais preparado para combater a , de acordo com o ranking World Obesity Atlas 2023, que analisa 183 países. No À Roda da Alimentação, esta é também uma das nossas causas.

O excelente resultado de Portugal no ranking que mede o nível de preparação para combater a obesidade é superado por países como a Suíça, a Finlândia, a Noruega, a Islândia, a Suécia, a França e o Reino Unido. De um modo evidente, destacamo-nos face aos países do Sul da Europa com um poder económico semelhante.

Programa Nacional de Promoção da (PNPAS)

O bom posicionamento de Portugal está relacionado com um conjunto de medidas desenvolvidas pela Direção-geral da Saúde através do Programa Nacional de Promoção da Alimentação Saudável (PNPAS).

Contribuir para a promoção da alimentação saudável dos portugueses foi também o propósito do Continente ao avançar com iniciativas de otimização nutricional em mais de 538 produtos de marca própria, e a desenvolver projetos de informação qualificada como o À Roda da Alimentação.

O objetivo deste programa é «melhorar o estado nutricional da população, incentivando a disponibilidade física e económica de alimentos constituintes de um padrão alimentar saudável e criar condições para que a população os valorize, aprecie e consuma, integrando-os nas suas rotinas diárias» (PNPAS).

Este programa incentiva ao cumprimento da legislação do marketing e publicidade para crianças e, entre outras medidas, incentiva a redução de e açúcar em certos alimentos, sem ficar esquecida a importância de evitar o sedentarismo com a prática de exercício físico.

Entrevista: Solinca Fitness Manager

Impacto da obesidade na saúde

Nunca é demais lembrar que a obesidade – geralmente determinada pelo Índice de Massa Corporal, que resulta da relação entre a altura e o peso de uma pessoa – pode levar a doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2, distúrbios metabólicos, respiratórios e psicológicos – estigma social, discriminação e baixa autoestima, bem como doenças articulares devido à sobrecarga de peso nas articulações.

Apesar dos bons resultados do ranking, todos os cuidados são poucos, visto que o relatório faz projeções inquietantes: «em 2035, a percentagem de adultos com obesidade em Portugal será de cerca de 39% – um aumento de 2,8% por ano.»

Além do impacto da obesidade na saúde de cada um, estão também em causa inúmeras despesas mé para diminuir os problemas que ela traz por arrasto, o que equivale, de acordo com as projeções, a 2,2% do PIB em 2035.

Se há boas razões para estarmos orgulhosos, também há bons motivos para ficarmos inquietos e tomarmos desde já medidas profiláticas; comer mais frutas e diminuir drasticamente o sal, a e adição de açúcar, evitar o sedentarismo e beber bastante são uma boa forma de antecipar uma condição física perigosa por excesso de peso.

Fonte: Programa nacional de promoção da alimentação saudável

Autor

À Roda da Alimentação