Combate ao desperdício alimentar

Por À Roda da Alimentação

A faz quase sempre parte das resoluções para um novo ano. Combater o ajuda a superar esse desafio. E muitos outros…

Convictos ou descontraídos, todos definimos metas quando um ano começa. Perder peso, ler mais, fazer desporto… Vale tudo, sobretudo se resultar na adoção de hábitos mais saudáveis. E combater o desperdício alimentar pode ser um dos mais impactantes.

Porque comprámos a mais, não soubemos aproveitar ou deixámos passar a validade, a verdade é que todos os dias desperdiçamos alimentos – especialmente pão, laticínios, fruta e hortícolas -, em casa, mas também nos restaurantes, retalho ou hotelaria. O desperdício alimentar em Portugal , ao nível doméstico, totaliza os 173 kg, em média, por pessoa, por ano.

Poupar para não desperdiçar

Se a este problema associarmos as perdas que, naturalmente, ocorrem durante a cadeia de abastecimento alimentar (‘do campo ao garfo’), atingimos um número dramático de resíduos. Na União Europeia, calcula-se que se atinjam as 88 milhões de toneladas por ano.

Esta quantidade pode parecer difícil de imaginar, mas são muito simples de perceber as sérias implicações que o desperdício tem na vida de todos nós, e não se trata apenas do grande impacto no orçamento familiar.

O desperdício alimentar contribui, desde logo, para as alterações climáticas, porque agrava as emissões globais de gases de efeito estufa. As consequências deste problema estão, hoje, à vista por todo o planeta e é já impossível ignorar a urgência que o tema requer.

‘Desperdício alimentar’ corresponde à comida própria para consumo humano descartada ou deixada a deteriorar ao nível do consumidor, independentemente da causa (FAO)

Por outro lado, uma atitude consciente e responsável em relação aos alimentos vai permitir a respetiva redistribuição aos mais necessitados, ajudando a erradicar a fome, um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável determinados pelas Nações Unidas, e que todos podemos e devemos ajudar a alcançar.

Para termos uma ideia mais concreta, segundo a FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura), os países industrializados desperdiçam 1,3 mil milhões de toneladas de alimentos por ano. Isto bastaria para alimentar cerca de 925 milhões de pessoas que passam fome atualmente.

Os números dizem tudo, mas fazem pouco. A mudança até pode começar aqui, mas só resulta se acabar em sua casa.

Faça a sua parte, por um mundo melhor e mais saudável!

Combate ao desperdício alimentar

Já conhece as caixas Zer0% desperdício do Continente? São compostas por frutas e legumes resgatados pelos colaboradores de loja quando estão perto do seu ponto ótimo de consumo mas que ainda estão dentro dos padrões de frescura e qualidade. É um dos diversos projetos da marca no combate ao desperdício alimentar. Saiba mais em Zer0 desperdício.

Contra o desperdício alimentar: o que pode começar a fazer já!

  • Experimente fazer o a seu próprio diário e aponte a quantidade de resíduos alimentares que produz. A tomada de consciência é um bom ponto de partida.
  • Planeie as refeições, faça listas e compre estritamente o necessário.
  • Aprenda a analisar a validade dos produtos. ‘Antes de’ e ‘Até’ são orientações muito diferentes.
  • Não encha o prato com comida. ‘Mais olhos do que barriga’ gera sempre desperdício e aumenta o risco de comer em excesso.
  • Reutilize as sobras e partilhe o que tem a mais com amigos, família ou vizinhos. O, se preferir, congele o que sobrar.
  • Não rejeite a fruta e os hortícolas com base no aspeto. A qualidade não se vê de fora.

Autor

À Roda da Alimentação