Ervas aromáticas: o sabor natural da vida

Com À Roda da Alimentação

As dão sabor à vida, temperam as nossas receitas, além de serem benéficas para a saúde. São ainda um excelente substituto do sal, mas escondem segredos por revelar. Neste artigo vamos fazer algumas confidências, para que a sua cozinha se torne num lugar mais mágico.

Artigo atualizado a 28 de setembro de 2022

Algumas ervas e especiarias têm aromas muito suaves, outras mostram o poder intenso da sua fragrância e, nestes casos – como acontece com os coentros, por exemplo – é preciso usá-las com parcimónia para que o seu sabor não abafe o gosto de um determinado prato – uma crítica, a propósito, muito recorrente nos famosos programas de culinária televisivos é a tendência para usar um tempero demasiado invasivo e que abafa o sabor dos alimentos. Uma vez que as ervas têm propriedades aromáticas, são também muito utilizadas como base para cremes, perfumes e fragâncias – nomeadamente a lavanda, o alecrim e a camomila – ou até para fins decorativos devido ao tipo de folhagem e de flores como a lavanda, a calêndula e o rosmaninho. 

Plantar ervas aromáticas em vasinhos, ou seja, fazer jardinagem a uma pequena escala, é uma atividade relaxante, que nos traz uma alegria acrescida: damos sabor aos alimentos com aquilo que produzimos. No entanto, cada erva aromática e cada especiaria pode ser mais ou menos adequada para um determinado prato e saber usá-las nos alimentos certos é uma arte combinatória que exige alguns preceitos e certos conhecimentos. Antes de mais, é importante ter dois aspetos em conta: idealmente, devemos consumir as ervas aromáticas frescas, em vez de secas, e pô-las sempre no fim dos cozinhados, uma vez que se estiverem sujeitas a temperaturas elevadas perdem o valor nutricional e parte do seu sabor.

Lista de ervas aromáticas e especiarias. 

Há uma diferença entre ervas aromáticas e especiarias. Esta diferença diz sobretudo respeito à parte da planta que é utilizada: no caso das ervas aromáticas, usa-se a folha, enquanto no caso das especiarias utiliza-se as restantes partes da planta.  Por definição, as ervas aromáticas, também chamadas plantas herbáceas, são plantas odoríferas, estando a utilização das folhas ligada à fragrância e ao sabor que imprimem às nossas receitas. São também excelentes para preparar chás, tanto com folhas frescas como secas. Estas são algumas das ervas aromáticas mais conhecidas

  • Tomilho 
  • Estragão 
  • Louro  
  • Manjericão 
  • Salva  
  • Alecrim 
  • Orégãos 
  • Menta  
  • Salsa  
  • Coentros 
  • Erva-doce 
  • Coriandro 

As especiarias têm um aroma mais intenso devido aos óleos essenciais que contêm. A sua origem não está nas folhas da planta, mas sim noutras partes da mesma, como as flores, os frutos, as sementes, as cascas, os caules ou as raízes. Entre as especiarias mais comuns encontramos: 

  • Canela 
  • Pimenta-do-reino 
  • Noz-moscada 
  • Cravo da Índia 
  • Anis 
  • Açafrão 
  • Cebolinho 
  • Gengibre 
  • Semente de mostarda 
  • Colorau 

Ervas aromáticas para uso culinário

As ervas aromáticas para uso culinário estão tradicionalmente associadas ao seu poder aromático e visual – como é o caso da salsa e dos coentros. Eis alguns exemplos de formas de utilização adequadas:  

  • Alecrim – Infusões, carne de porco e de borrego, massas, queijo, sopa,
  • Cebolinho – Limonada, molhos, ovos, peixe, , saladas, sopas, sushi, poke bowls, etc..
  • Coentros – Saladas, sopas, caldos de peixe, , favas, arroz, massas, açordas, bolos, no forno/ à brás.
  • Hortelã – Tisana, limonada, carne de carneiro, peixe, sopas, saladas, ervilhas, sobremesas, smoothies, batidos, etc.. 
  • Louro – Carne de porco, peixe, feijão, estufados, caldeiradas. 
  • Manjericão – Limonadas, molhos, massas, hortícolas, cozinhados com , peixe, sopas, saladas, sobremesas. 
  • Orégãos – Carne, peixe, massas, saladas, queijos, tomate, pizzas.
  • Poejo – Tisana, caldeiradas de peixe, açorda, sobremesas com
  • Salsa – Carne, peixe, ovos, queijo, saladas, massas, arroz. 
  • Tomilho – Carne ou peixe assados ou
  • Salicórnia – Carne, peixe assados, grelhados ou saladas.

Propriedades e benefícios ervas aromáticas 

Utilizar ervas aromáticas nos cozinhados tem enormes benefícios para a saúde, uma vez que as ervas apresentam alguns micronutrientes (vitaminas e minerais) com importantes funções no organismo. Para além disso, o seu principal benefício é que com o seu consumo é possível reduzir drasticamente a quantidade de sal adicionada na comida e até mesmo nos produtos alimentares. Outra possível vantagem é também a melhoria das características organoléticas dos seus cozinhados graças aos diferentes sabores a aromas que estas ervas proporcionam!

Bons temperos!

Autor

À Roda da Alimentação