Fruta de agosto: nutritiva e bem fresquinha!

Por À Roda da Alimentação

A melancia, o melão e a meloa fazem parte da fruta típica do mês de agosto mais apreciada pelos portugueses. Além de serem frutas nutritivas e deliciosas, são hidratantes, uma vez que são ricas em água e combinam muito bem nas suas saladas ou marmitas de verão. Ao contrário do que se pensa, não têm um elevado valor calórico e os diabéticos podem consumir com moderação. Aproveite bem esta viagem de sabores antes de chegar ao fim da estação.

Artigo atualizado a 31 de agosto de 2022

Melancia, Melão e Meloa

Agosto é um dos meses mais ricos em , por isso vale a pena aproveitar o que este mês tem de bom para nos oferecer. Como sabemos, é fundamental respeitar a sazonalidade dos alimentos, neste caso em particular, a fruta. Se o fizermos, terão por certo outro sabor e um aroma mais agradável e genuíno. Além disso, têm mais nutrientes, a oferta é necessariamente maior, logo, o preço também é mais baixo, e, por consequência, a relação qualidade-preço melhora automaticamente, o que permite poupar. Por fim, mas não menos importante, ao respeitarmos a sazonalidade estamos a contribuir para uma maior sustentabilidade, apoiando a produção nacional e local.

A versatilidade destas frutas é uma mais-valia, uma vez que podemos servi-las como entrada, juntando-lhe ou não mais algum ingrediente – como umas tirinhas finas de presunto pouco salgado, por exemplo, no caso da meloa e do melão –, enquanto sobremesa ou combiná-los simplesmente com doces e salgados. Em agosto não podemos esquecer também a ameixa, o pêssego, a pera, a maçã, bem como os frutos vermelhos e os figos. No entanto, hoje dedicamo-nos às grandes estrelas do verão quente – o melão, a meloa e a melancia –, bem como aos seus benefícios, que têm tanto em comum.

3 razões para esperar pelos alimentos da época

Benefícios de melão

  • É um excelente hidratante; composto por 92% de água, está entre os melhores aliados da elegância por ter um baixo valor calórico: 100 g de melão contêm em média cerca de 29 kcal, valor que pode variar um pouco de acordo com o tipo de melão, visto que há várias espécies.
  • É fonte de fibras, que tanto contribuem para o bom funcionamento intestinal, para a entrada gradual de açúcar no sangue e para a regulação do apetite.
  • Contém antioxidantes nomeadamente vitamina C, que pode ajudar a aumentar a absorção de ferro, e vitamina A, essencial para a saúde da pele e da visão, bem como para o melhor funcionamento do sistema imunitário.

Receitas com melão

Benefícios da meloa

  • Tem um baixo teor de açúcares e um valor energético reduzido. Há várias espécies de meloa, mas 100 g têm aproximadamente cerca de 27 kcal.
  • É altamente hidratante, tal como o melão e a melancia, devido à grande percentagem de água presente na sua composição.
  • É rica em vitamina C e fonte de vitamina A, que melhoram a. absorção do ferro, especialmente se forem consumidas com carne, peixe ou leguminosas. A vitamina C apresenta ainda uma ação antioxidante.
  • Tem um elevado teor de fibra, que melhora o trânsito intestinal, a lenta absorção de açúcares e regulam o apetite.

Benefícios da melancia

  • É rica em caroteno, um pigmento com uma função antioxidante, responsável pelo tom vermelho da polpa e que protege as células de oxidações indesejáveis.
  • Tal como o melão e a meloa, é uma fruta com baixo valor calórico: uma taça de melancia com cerca de 155 g tem pouco mais de 46 calorias, valor que se pode alterar ligeiramente conforme a variedade do fruto.
  • É maioritariamente constituída por água e fonte de vitamina C. Sabia que a vitamina C contribui para a redução do cansaço e fadiga?
  • Constitui uma boa fonte de fibras, tão importante para a saúde intestinal, para a regulação do apetite, bem como para a absorção de açúcares.
  • A presença de compostos antioxidantes nesta fruta protege as células de oxidações indesejáveis

Calendário da fruta da época

Frutos para diabéticos: desfrute!

Sem ultrapassar as três peças por dia, os diabéticos podem e devem comer fruta, até porque de um modo geral a fruta contribui para a regulação dos níveis de glicemia, isto é, de açúcar no sangue. No entanto, é importante prestar atenção a este alimento tão saudável e cheio de benefícios. Com alguns cuidados, os diabéticos têm opções fabulosas que lhes permitem consumir vitaminas, antioxidantes e sais minerais como qualquer pessoa.

Idealmente, a fruta deve ser consumida fresca, o que é válido para todos nós, principalmente se for fruta da estação. É indiferente comê-la entre as refeições, enquanto entrada, ou sobremesa. As frutas de clima temperado – como a maçã, a pera, os citrinos, o pêssego e os frutos vermelhos – têm um baixo índice glicémico. Contrariamente, este valor aumenta nas frutas tropicais, por natureza mais doces, sobretudo se estiverem maduras ou quando são reduzidas a sumo ou puré, como é o caso do ananás, da meloa ou da melancia.

Alimentação para diabéticos

De acordo com a fonte diabetes 365, podemos a partir de uma maçã pequena com 12-15 g de hidratos de carbono obter uma pequena cábula. Assim, a nossa maçã equivale a 1 pera média, 1 banana pequena, 1 laranja média, 1 pêssego médio, 1 nectarina, 2 tangerinas, 8 morangos, 2 ameixas, 2 kiwis, 10 pares de cerejas, ¾ a 1 chávena de frutos vermelhos, 1 fatia de melão, de melancia ou de ananás, 2 fatias de meloa, 1/2 romã e 1/2 copo de sumo de fruta.

Bom apetite!

Fruta de agosto

Alfarroba, ameixa, amora, ananás, anona, banana, figo, fisális, framboesa, limão, maçã, maracujá, marmelo, melancia, melão, meloa,  morango, nectarina, pêra, pêssego e uva.

Autor

À Roda da Alimentação