São os nossos maiores heróis, achamos que são invencíveis e que sabem tudo – e a maior parte das vezes sabem -, mas muitos desvalorizam os poderes especiais da alimentação. Os nossos seniores podem viver melhor, só precisam de uma ajuda.

Portugal continua a envelhecer e, por isso, cuidar dos mais idosos nunca foi tão importante. A velocidade de progressão do envelhecimento depende de muitos fatores. E embora existam alguns que não conseguimos controlar, como os genéticos, há outros que estão ao nosso alcance, aqueles que se referem aos hábitos.

Segundo a Associação Portuguesa de Nutrição, “o risco de inúmeras patologias associadas ao envelhecimento pode ser minimizado por uma intervenção adequada ao nível dos estilos de vida, nomeadamente da alimentação/nutrição e atividade física”. Comer para prevenir doenças ou para atenuar os seus efeitos parece ser, claramente, a estratégia vencedora.

As nossas necessidades nutricionais variam à medida que os anos passam. Segundo a informação que os especialistas do Continente me passaram, com o tempo, o organismo começa a perder a capacidade de absorver vitaminas, como a B12, minerais como o cálcio, por exemplo, e a síntese de vitamina D através da pele. Além disso, passa a existir uma maior tendência para a malnutrição que pode ter várias explicações. Por exemplo, a dificuldade em carregar as compras pode tornar a lista mais pequena e menos variada e, por isso, esta começa a resumir-se aos básicos.

Este tipo de ações, que tem consequências em qualquer fase da vida, por vezes, complica bastante a saúde nos seniores.

Porém, contrariar esta tendência é possível. Uma alimentação cuidada aliada ao exercício físico, pode contribuir para um envelhecimento mais saudável. E a idade não tem necessariamente de ser uma sentença. É só apresentar-vos o meu pai, por exemplo, que mudou de hábitos alimentares, passou a fazer caminhadas e exercício físico, e põe muitos cinquentões a um canto.

Portanto há então que garantir que os nossos seniores estão a receber os nutrientes de que precisam. Eu indico abaixo alguns dos mais importantes, de acordo com a Associação Portuguesa dos Nutricionistas. Deixo o resto por sua conta.

Quer saber mais sobre este tema? Partilhe as suas questões connosco, abaixo.

Peixe no forno com legumes

IR PARA SITE CHEF CONTINENTE

TODOS OS PRODUTOS BIOLÓGICOS À MÃO DE SEMEAR

NUTRIENTES ESSENCIAIS

Your Content Goes Here

Your Content Goes Here

Your Content Goes Here

Comentários9

  1. Guilherme Padesca 18/08/19 21:39 | 15.01.2019 6:33 PM

    Leite, só de Proteína A2. Cálcio, só é mau! tem de complementar c/Cologeneo+Boro+Zinco+D3+K2(MK7)+Magnésio.

    Responder
  2. Estela Bastos 18/08/19 21:39 | 16.01.2019 12:49 AM

    Olá Catarina, que excelente tema este:).

    A minha mãe tem 71 anos e é uma pessoa extremamente ativa.
    Recentemente começou a inchar na zona abdominal e decidimos procurar ajuda em naturopatia. Foi-nos dito pelo naturopata (bem experiente, por sinal) que a sopa que a minha mãe habitualmente comia como jantar, lhe estava a fazer inchar, bem como a fruta no final das refeições, atendendo a que iria fermentar, provocando inchaço abdominal e flatulência.
    Disse inclusive que a água de cozer os legumes é, e passo a citar, “das piores coisas que podemos ingerir”, que devemos sim, comer os legumes cozinhados a vapor, mas nunca misturados com a água da sua cozedura…
    O que têm os nutricionistas a dizer em relação a esta provocação às nossas habituais sopinhas…?
    Será que com o avançar da idade, o sistema digestivo se torna menos tolerante a alguns processos químicos que ocorrem na preparação das nossas sopas?

    Continuação de uma boa semana para todos!

    Responder
    1. Olga 18/08/19 21:39 | 23.01.2019 6:26 AM

      Bom dia, tendo eu a mesma idade da sua mãe fiquei admirada porque continuam a dizer para comermos sopa á noite e que é bom água legumes.
      Então o que devemos comer? Obrigada

      Responder
    2. Especialista Continente
      Especialista Continente 18/08/19 21:39 | 28.01.2019 11:28 AM

      Olá Estela,

      O padrão da Dieta Mediterrânica centra-se na recomendação de uma maior ingestão de frutas e legumes e em métodos de confeção que preservem os nutrientes, nomeadamente as sopas. Dado que cada indivíduo tem as suas próprias especificidades e nem todos reagem da mesma forma aos mesmos alimentos, sugerimos a consulta a um profissional de saúde com a realização de diferentes exames para despistar algumas patologias que possam estar na origem desses sintomas.

      Obrigado.

      Responder
  3. Claudia Maria Kañgoma 18/08/19 21:39 | 16.01.2019 10:03 AM

    Bom dia !

    Podiam acrescentar ao Prato Arroz Branco e Batata Cozida .

    Obrigada

    Responder
  4. Clara Barros 18/08/19 21:39 | 23.01.2019 6:13 PM

    O que devemos comer à noite tenho 71 anos

    Responder
    1. Especialista Continente
      Especialista Continente 18/08/19 21:39 | 28.01.2019 11:24 AM

      Olá Clara,

      Como não devemos fazer um jejum noturno (período entre a última refeição do dia e a primeira da manhã do dia seguinte) muito prolongado, e se o jantar foi muito cedo, recomendamos uma pequena ceia que pode consistir em: uma infusão de ervas sem açúcar e meio pão com uma compota pouco ou nenhum açúcar adicionado; ou uma torrada com pouca manteiga e uma chávena pequena de leite; ou uma peça de fruta e 2 bolachas “Maria”; ou 1 iogurte com uma colher de sopa com frutos oleaginosos (amêndoas, nozes, avelãs…); ou um prato pequeno de papas de aveia sem açúcar.

      Obrigado.

      Responder
  5. José 18/08/19 21:39 | 13.02.2019 3:25 PM

    Com o devido respeito por quem trabalha, os nutricionistas, por quem promove, a Catarina e o Continente, fomentar o consumo de carnes vermelhas, do salmão, e já nem falo do leite de vaca… é indubitavelmente um péssimo serviço para a saúde pública, e contraria o estado de arte da ciência da nutrição actual.
    Lamentável.
    Os melhores cumprimentos.

    Responder
    1. Especialista Continente
      Especialista Continente 18/08/19 21:39 | 15.02.2019 10:55 AM

      Olá José. Suportamo-nos na Dieta Mediterrânica, um padrão alimentar promotor da saúde, e na Roda dos Alimentos nacional, um guia que ajuda na implementação desse mesmo padrão. Ambos são recomendados por várias entidades de saúde nacionais e internacionais, nomeadamente a Direção Geral de Saúde e a Organização Mundial de Saúde. O nosso objetivo é valorizar um estilo de vida saudável, sabendo que existem outras alternativas que os consumidores são livres de adotar. Obrigado.

      Responder

Adicionar comentário

Não perca pitada
das nossas novidades