Parece um tema simples, mas pode não ser. A fitness manager Lia Bahut relembra-nos porque é tão importante fazer exercício e as precauções que devemos tomar.

Fazer exercício é uma atividade indispensável para todos e deve ser estimulada bem cedo nas nossas vidas. Contudo, é importante saber adequar o treino à condição física e, sobretudo, conhecer os nossos limites para evitar lesões. A especialista Lia Bahut responde a algumas perguntas essenciais sobre o tema.

1 – Com que frequência devemos fazer exercício físico?

 

Segundo as recomendações da Direção Geral da Saúde (DGS), uma pessoa saudável deve acumular 150 min de atividade física moderada, por semana, ou 75 min de atividade vigorosa. Entenda-se por atividade física as atividades que aumentam o dispêndio energético, mas sem estrutura, plano ou objetivo definido. Quando falamos em regime moderado, refiro-me aos exercícios em que a respiração fica acelerada, mas ainda conseguimos manter uma conversa, como por exemplo as caminhadas em ritmo rápido. Nas atividades vigorosas, como a corrida, a respiração fica muito acelerada e não conseguimos manter uma conversa. O que é importante é que as pessoas comecem a ter consciência das enormes vantagens que o exercício lhes pode promover. Descubram o que mais gostam de fazer, encontrem um parceiro que as possa acompanhar – comprometendo-se e motivando-se mutuamente – e que se mexam. Tudo conta!

2- Quais são os maiores ganhos para a saúde?

 

São imensos! Há vários estudos que comprovam as vantagens do exercício tanto para a melhoria da qualidade de vida em geral, como enquanto fator preventivo e coadjuvante terapêutico de diversas doenças. Por exemplo, ajuda a regular os sistemas cardiovascular e músculo-esquelético (atuando no reforço da musculatura, melhorando postura, diminuindo dores nas costas e ajudando a prevenir a osteoporose) e atua a nível neurocerebral (ajuda a regular o humor, diminui estados de ansiedade e reforça a memória). Segundo vários estudos, também pode contribuir para reduzir a incidência de doenças oncológicas. E ainda aumenta a vitalidade e a energia de que precisamos para para superar os desafios do dia a dia.

3 – Existem alguns riscos associados à prática de exercício?

 

De forma geral, podemos dizer que os riscos do exercício são muitos baixos, quando comparados com os benefícios. O que se recomenda é que as pessoas, antes de iniciarem qualquer atividade ou programa de exercício, realizem uma avaliação física e sejam acompanhados por um profissional qualificado e habilitado, que irá definir o protocolo de treino que se adeqúe mais à especificidade de cada caso. Devem seguir-se as linhas normativas da ACSM (American College of Sport Medicine) que, neste momento, são as que regulam a prática.

4- Em que medida é importante ter um plano de treino personalizado e assistência especializada?

 

Ter um profissional a prescrever o treino e a acompanhá-lo torna a prática de exercício muito mais segura, motivante, eficaz e personalizada (de acordo com o seu objectivo e/ou limitações). Se pensarmos em melhorar a nossa condição física ou em prevenir doenças, temos de integrar na nossa rotina semanal momentos de exercício físico. Um plano de treino corresponde a uma programação de exercício físico (prática consistente com um objetivo especifico, delineada no tempo, realizada de forma estruturada), que pode também integrar recomendações de atividade física (por exemplo, subir escadas, caminhar…), mas que deve ser sempre o mais individualizado possível. E não me refiro  apenas a cumprir os princípios técnicos do treino. Todo o planeamento deve ir ao encontro dos gostos, preferências e disponibilidade de cada pessoa. Para que a integração do exercício na rotina semanal seja um sucesso é essencial que as pessoas gostem ou passado alguns meses irão acabar por desistir. Portanto, não vamos tornar o exercício algo chato e complicado, mas, idealmente, vamos ajudar as pessoas a descobrir o que realmente as motivas, e orientá-las tecnicamente da melhor forma: dando serviço, apoio, desmistificando alguns mitos, contornando algumas objeções e proporcionando momentos de sucesso, superação e novas conquistas, sempre em segurança. Tudo isto é conseguido com o apoio especializado de um profissional da área.

5 – O que sugere para quem está a começar?

 

Escolha uma atividade de que goste. Se não sabe qual prefere, procure um profissional na área que lhe irá dar a conhecer a vasta lista de opções que podem ir ao encontro das suas preferências. Encontre um parceiro. Convide um amigo, algum familiar que o possa acompanhar. Além de se motivarem mutuamente, isto aumenta fortemente o compromisso. Escolha treinar em locais perto de casa ou do seu trabalho para que não altere muito a sua rotina. Se vai de carro, opte por deixar o saco de treino, já pronto, dentro da mala do carro. Comece de forma gradual. Respeite o seu corpo, dê tempo à adaptação para que a experiência de treino seja positiva e os resultados sustentáveis. Defina a frequência semanal e comece por treinos mais curtos. Gradualmente, aumente a duração das sessões de treino e, posteriormente, a intensidade. O mais adequado é seguir as recomendações do seu personal trainer.

Your Content Goes Here

Your Content Goes Here

Your Content Goes Here

Adicionar comentário

Não perca pitada
das nossas novidades