O que fazer quando eles torcem o nariz

Não quero sopa! Não gosto de brócolos! Não vou comer peixe! Andei à procura de alguns truques infalíveis para transformar estes ‘nãos’ em ‘sins’.

Tenho de ser sincera, tive alguma sorte com os meus filhos porque nunca ouvi frases radicais como estas, embora, como acontece com quase todas as crianças, a carne e as pizzas são os seus eleitos. No entanto, a grande maioria dos meus amigos queixa-se desta dificuldade generalizada durante as refeições e nem sempre é fácil saber o que fazer, como escrevi no post  ‘Birras à mesa. Como lidar com elas’. Embora seja absolutamente essencial dar o exemplo, muitas vezes isso não chega.

São quase sempre os mesmos alimentos na origem das reclamações e, na sua maioria, são precisamente os mais importantes para as crianças. Depois de uma pequena investigação e de consultar os nutricionistas do Continente, deixo-lhe algumas dicas para estimular os miúdos a aceitar os pratos que mais rejeitam.

 

SOPA

É um dos pratos menos apreciados pelos mais novos e um dos que eles mais precisam. A sopa é uma ótima opção para introduzir legumes na rotina das crianças e todas as refeições deviam começar com ela. Para os convencer, é importante ter atenção à textura (nem muito líquida nem muito espessa). O sabor deve ser suave, mas nem por isso monótono. Pode sempre adicionar ervas aromáticas (coentros, p. ex.). Também é preferível fazer várias sopas diferentes durante a semana, alternando nos hortícolas, em vez de apostar em grandes quantidades da mesma. Embora seja mais prático para os pais, não facilita a vida das crianças que se aborrecem depressa com o mesmo sabor.

Comece por dar sopa passada, mas apenas com 2 ou 3 legumes de base, e vá introduzindo, de forma gradual, os legumes cortados em tamanhos pequenos e depois inteiros. Vai ver que é mais fácil.

 

PEIXE

Rico em proteínas, minerais (ferro, cálcio, zinco), ómega 3 e vitaminas, o peixe deve ser presença regular na dieta de crianças e adultos. E, como com quase todos os alimentos, quanto mais cedo, melhor. Para que seja mais fácil de aceitar, deve começar por servi-lo já sem espinhas e pele. Experimente escolher acompanhamentos de que as crianças gostem especialmente (arroz, puré, etc.). Variar no tipo de peixe também é importante para ajudar a quebrar a monotonia. Se hoje serviu pescada, porque não tentar atum a seguir? Os diferentes sabores atraem as crianças. De resto, é fundamental testar vários métodos de confecção, entre cozido, grelhado, assado, etc., e perceber aquele que mais cativa os seus pequenos.

LEGUMES

Os hortícolas são essenciais na dieta, pois são uma riquíssima fonte de vitaminas e minerais. O ideal é fazer acompanhar todas as refeições com legumes para criar o hábito à mesa. O tempero e forma de apresentação são fundamentais para as crianças. Tente primeiro servi-los cozinhados ao natural e só temperá-los caso não gostem deles simples. Para aguçar-lhes o apetite, é importante cortar os hortícolas em pedaços pequenos, para ser mais fácil de mastigar.

Tire partido da cor. Evite servir saladas completamente verdes. Misture, por exemplo, cenoura, pimentos amarelos ou tomate. E tente variar na forma de preparação: coza, salteie, grelhe… Outra estratégia eficaz pode ser convidar um amigo do seu filho que goste de legumes para jantar lá em casa. Ele vai seguir-lhe o exemplo. Entre as refeições, experimente fazer dos legumes um snack, e prepare uns palitos de cenoura descascada, por exemplo.

Também ajuda se envolver os seus filhos na preparação dos legumes, isso leva-os a sentirem mais vontade de os comer.

 

FRUTA

Rica em fibras, minerais e vitaminas, a fruta é indispensável numa alimentação saudável. Uma das formas mais eficazes de fazer com que faça parte dos hábitos do seu filho é apresentá-la sempre como primeira opção de sobremesa, no final das refeições. Outra dica é levar as crianças às compras e deixar que sejam elas a escolher os frutos que querem provar (isto também funciona com os legumes). Elas sentem-se mais envolvidas, curiosas e acabam por ter mais vontade comer.

Sempre que possível, sirva a fruta fresca, em peça, e ao natural com casca. A fruta cozinhada perde nutrientes. De vez em quando, faça saladas de fruta, espetadas ou sumos naturais. Experimente apresentar a fruta cortada em figuras geométricas ou estrelas e corações. Eles vão adorar!

Your Content Goes Here

Your Content Goes Here

Your Content Goes Here

Comentários2

  1. isabel pinto 21/10/19 05:11 | 19.09.2019 5:30 PM

    estas sugestões são optimas para incentivar as crianças a comerem

    Responder
    1. Catarina Furtado
      Catarina Furtado 21/10/19 05:11 | 30.09.2019 3:27 PM

      Obrigada, Isabel. São pequenos truques que podem fazer a diferença.

      Responder

Adicionar comentário

Não perca pitada
das nossas novidades