5 dicas de uma alimentação saudável

Por À Roda da Alimentação

Partilhar

Qual a importância de uma boa alimentação? Que implicações tem para a nossa saúde? Se não sabe o que é uma alimentação saudável, este artigo é para si.

Para manter uma alimentação saudável devemos procurar que esta seja completa, variada e equilibrada, garantindo a energia e o bem-estar físico necessários ao longo do dia. No essencial, devemos evitar o excesso de açúcar, sal e gorduras, e privilegiar alimentos ricos em fibra – como os produtos hortícolas, frutos, cereais, leguminosas -, em vitaminas e sais minerais, e com baixo teor de gordura. Menos fritos e mais assados, cozidos e grelhados é a regra.

A importância de uma alimentação saudável está na sua saúde! Ajuda a manter um peso adequado e a prevenir várias doenças, como a diabetes, a obesidade ou a hipertensão. Mas porque nem sempre há tempo, na correria do dia a dia, ou nem sempre é claro o que é uma alimentação saudável. deixamos-lhe cinco dicas que ajudam a seguir na direção certa.

1. Organizar despensa

  • Escreva, aponte, faça uma lista. Tenha um bloco na cozinha, sempre à mão, para anotar sempre que acaba um produto ou ingrediente.
  • Planeie com antecedência as refeições da semana. Assim, é mais fácil comprar apenas os ingredientes necessários e evitar as compras por impulso.
  • Depois das compras, arrume os alimentos de forma adequada dentro do frigorífico.
  • Na despensa, opte por separar os artigos de acordo com o género e a frequência de utilização.
  • Tenha snacks saudáveis sempre à vista, para evitar ‘tragédias’ naquelas noites em que há uma série ‘a não perder’.

2. Compras no supermercado

  • Todos já ouvimos isto, mas nem sempre lhe damos o devido crédito: não é boa ideia ir ao supermercado com o estômago vazio, pois tende-se a comprar coisas desnecessárias.
  • Na secção dos frescos, além dos que costuma comprar, não se esqueça de levar também os da época que, por norma, estão a um preço mais acessível.
  • Aproveite as promoções (vale a pena espreitar os folhetos antecipadamente) para aumentar o stock daqueles alimentos que é bom ter sempre em casa, como os enlatados e congelados, que têm maior validade e podem resolver uma refeição, a qualquer momento.
  • Para evitar o desperdício, ajuste as compras no supermercado às necessidades da sua família.
  • Não agarre logo nos produtos refrigerados (iogurtes, queijos frescos, etc.) e congelados. Deixe este grupo para o fim das compras, para garantir melhores condições de preservação e não chegar à caixa com o carrinho a pingar.

Se quer saber mais sobre este tema, consulte o nosso artigo  ‘Lista de compras do supermercado’.

ORGANIZAR FRIGORÍFICO

Zona Superior (mais fria):
– Iogurtes, queijos e alimentos cozinhados.

Zona Intermédia:
– Carne e pescados, produtos de charcutaria, ovos, conservas abertas e produtos de pastelaria.

Zona Inferior (menos fria):
– Produtos em descongelação.

Gavetas Inferiores:
– Hortícolas, fruta e leguminosas frescas.

Prateleiras da Porta:
Água, leite, manteiga, cremes vegetais.

3. Ler os rótulos e Semáforos Nutricional

  • Lista de ingredientes – Deve ser a primeira coisa a ler. Os ingredientes são apresentados por ordem decrescente, em função da quantidade. O que está em maior quantidade surge primeiro, depois vem o segundo ingrediente mais abundante e assim sucessivamente.
  • Declaração nutricional – A versão mais completa inclui o valor energético do produto (soma da energia dos nutrientes) e os nutrientes obrigatórios (lípidos, ácidos gordos saturados, hidratos de carbono, açúcares, proteína e sal). Pode também apresentar teores de fibra, vitaminas, minerais, ácidos gordos monoinsaturados, ácidos gordos polinsaturados, entre outros
  • Semáforo Nutricional – Através de um código de cores, informa a presença em maior ou menor grau, dos nutrientes que, em excesso, mais prejudicam a saúde: Se quiser saber mais, leia o post  ‘As cores que contam!‘.
  • Condições de conservação – São recomendações sobre como manter e armazenar os alimentos, fechados e depois de abertos.
  • Data de validade – Quando designada por ‘Consumir até’, indica a data-limite até à qual o produto deve ser consumido. Já quando indica ‘Consumir de preferência antes de’, refere-se ao prazo até ao qual se garantem todas as suas propriedades. Se quiser saber mais, leia o nosso artigo sobre os ‘rótulos alimentares’.

4. Hábitos saudáveis à mesa

  • Evite colocar os temperos (sal, azeite, molhos, etc.) todos na mesa, pois isso aumenta a possibilidade de cometer excessos.
  • Se tem filhos, é importante definir regras de permanência na mesa, para todos, até ao fim da refeição. Não só porque se chama a atenção para o que está no prato, mas também porque estimula mais a conversa.
  • Evite os telemóveis ou outras fontes de distração, durante as refeições. Dê o exemplo.

5. Evitar o desperdício

  • Uma alimentação saudável não significa comer sempre o mesmo. Seja criativo e tente não repetir refeições, sem aumentar o orçamento.
  • É importante aproveitar as sobras de comida. Restou frango guisado do jantar de ontem? Desfaça-o e ponha-o numa salada. Há carne assada a mais? Pique-a e use num empadão. As bananas estão a ficar muito maduras? Faça-se um batido para o pequeno-almoço. A Internet pode dar uma ótima ajuda com propostas ótimas para reaproveitar comida.

Autor

À Roda da Alimentação