Alimentação saudável nas escolas

Por À Roda da Alimentação

O regresso às aulas vai ter novidades no que toca à alimentação das crianças e jovens. E são bem boas. Aproveite a rentrée para mudar de hábitos!

A importância da educação alimentar

A partir de agora, as escolas públicas deixam de disponibilizar produtos nutricionalmente menos equilibrados, nos bufetes e nas máquinas automáticas, por forma a que se privilegiem opções mais equilibradas e saudáveis.

Com este Despacho, deixarão de estar disponíveis nos bufetes escolares, produtos de pastelaria, salgados, alguns tipos de bolachas, refrigerantes, guloseimas, sobremesas, chocolates, entre outros. E será promovida a presença de , fresca, pão de mistura e integral, lacticínios com baixo a moderado teor de , saladas, frutos oleaginosos, entre outros.

O objetivo é promover a redução de sal, açúcar e gorduras na alimentação escolar. O consumo excessivo destes está associado a um maior risco de desenvolvimento de doenças crónicas, como a tipo 2, as doenças cardiovasculares e a .

A cadeias de abastecimento já tinham antecipado a oferta de alternativas mais saudáveis, que continuaram a ganhar espaço nos supermercados em Portugal.  Exemplo disso é a gama Continente Equilíbrio cuja missão foi reforçada, disponibilizando um conjunto de produtos nutricionalmente equilibrados a um preço baixo e democrático.

A este propósito não deixe de ler o artigo Comer melhor é fácil e faz a diferença!.

Obesidade Infantil

Quase 30 % das crianças em Portugal têm excesso de peso (Sociedade Portuguesa para o Estudo da Obesidade, 2020). Embora com tendência decrescente, a obesidade infantil continua a merecer a maior atenção dos pais e dos profissionais de saúde.

Considerado um dos principais fatores de risco para a saúde, a obesidade está associada a várias doenças e deve ser prevenida desde criança. Ao contrário do que muitos pais pensam, este não é um problema transitório.

E se em casa é possível controlar a alimentação das crianças, na escola pode ser mais complicado. Com estas medidas impostas pelo Governo, é possível promover uma oferta alimentar mais equilibrada, promovendo escolhas saudáveis.

A obesidade infantil e como prevenir

Cuidados a ter com a

Uma das primeiras coisas que ajuda é dar o exemplo. Os filhos seguem o modelo dos pais, pelo que se ‘os mais crescidos' adotarem hábitos de alimentação saudáveis (por exemplo, começando as refeições com sopa), as crianças terão maior propensão para o fazerem.

Cozinhe com os seus filhos e dê-lhes a conhecer os alimentos. Estimule a sua curiosidade e explique por que razão uns são mais importantes do que outros para o organismo. Isso vais ajudá-los a tomar decisões mais esclarecidas.

Outro fator importante é compor a lancheira escolar com produtos equilibrados e nutritivos. Leite, fruta, cereais e derivados integrais, hortícolas, frutos oleaginosos, e água são boas seleções.

Lanches para crianças

É importante garantir que as crianças e jovens recebem o aporte de nutrientes de que precisam para lidar com a exigência das aulas e com os desafios do crescimento.

Devem ser evitados alimentos com pouco valor nutricional, ricos em sal, açúcares e gorduras adicionados.

A verdade é que grande parte da ingestão energética diária por parte de crianças e jovens provém das refeições que fazem na escola. Nesse sentido, é essencial que todos os pontos de distribuição alimentar, incluindo refeitórios, cantinas e máquinas automáticas, disponibilizem opções nutritivas.

À semelhança do que tem acontecido por toda a Europa, Portugal dá agora mais um passo nesse caminho, eliminando a oferta de produtos considerados menos equilibrados e promovendo a presença de opções mais saudáveis e nutritiva.

Como fazer lanches saudáveis para levar para a escola

A importância da atividade física

Por fim, o é igualmente muito muito importante para uma boa saúde. Para combater o sedentarismo é preciso estimular as crianças a brincarem mais e, se possível, a escolherem uma modalidade desportiva para praticarem regularmente.

A atividade física na infância

Tem duvidas sobre este tema, pergunte à Nutricionista Online.

Autor

À Roda da Alimentação